sexta-feira, dezembro 22, 2006

FELIZ NATAL

Olá meus amigos
Nem imaginam o que me aconteceu!
Estava eu ontem, ao quentinho da lareira, com a Lili e o Rapazito, a pensar em vós todos e em como seria bonito poder desejar-vos um Feliz Natal, quando senti um arranhar na porta. Fui espreitar.

-Inspiração!!!
-Olá Avó! Posso entrar? Tenho-me lembrado imenso de ti, de todos os amigos felinos e de todos os nossos amigos humanos.
-Também eu, meu amigo! E que saudades!
-Só venho desejar um Feliz Natal. E pedir-te que entregues a todos os nossos amigos este presentinho: o maior beijo e o maior abraço do Mundo!
-Com certeza, meu querido Inspiração. Mas para o nosso cartão de Boas Festas ficar mais completo ajudas-me a encontrar uma história de Natal para contar aos nossos amigos?
-Apanhaste-me de surpresa, Avó! Bem… Há tanta coisa bonita acerca do Natal. Excluindo o tema GATOS, acho que é mesmo o assunto mais apreciado por todos os escritores. Estou a lembrar-me, por exemplo, da grande escritora Pearl Buck. Que contos lindos, de Natal, ela escreveu: “O Fantasma da Noite de Natal”, “A Noite Maravilhosa” e tantos outros. Ou de António Torrado e aquela história tão engraçada do peru de Natal que andou dentro de um cesto, em bolandas por quase todas as casas importantes da sua cidade, a pensar que estava chegado o seu fim…
Achei! José Mauro de Vasconcelos e uma enternecedora passagem de “O meu pé de laranja lima”. Espero que gostem da minha escolha. BOAS FESTAS.
“Entrei de furacão, com medo que ele já fosse fechar.
- O senhor tem ainda daquele cigarro caro?
Ele apanhou duas carteiras quando viu o dinheiro na palma da minha mão.
- Isto não é para você, é, Zezé?
Uma voz por trás falou:
- Que ideia! Um pequeno desse tamanho!
Sem se virar ele contestou.
- Porque você não conhece esse freguês. Esse danado é capaz de tudo.
- É para Papai.
Sentia uma felicidade enorme rolando as carteiras na palma da mão.
- Essa ou essa?
- Você é quem sabe.
- Passei o dia trabalhando pra comprar este presente de Natal para Papai.
- Verdade, Zezé? E o que ele te deu?
- Nada, coitado. Ele está ainda desempregado, o senhor sabe.
Ele ficou emocionado e ninguém falou no bar.
- Qual o senhor gostava mais se fosse o senhor?
- As duas são lindas. E qualquer pai gostaria de receber um presente desse jeito.
- O senhor me embrulha essa, por favor.
Ele embrulhou mas estava meio esquisito quando me deu o pacotinho. Parecia querer dizer uma coisa e não conseguia.
Dei o dinheiro e sorri.
- Obrigado, Zezé.
- Boas-festas para o senhor!...
Corri de novo até casa.
A noite tinha chegado também. Havia a luz acesa do lampião apenas na cozinha. Todos tinham saído, mas papai estava sentado na mesa olhando o vazio da parede. Apoiava o rosto na palma da mão e o cotovelo na mesa.
- Papai.
- O que é, meu filho?
Não havia rancor nenhum em sua voz.
- Onde você andou o dia todo?
Mostrei a caixa de engraxar.
Coloquei a caixa no chão e meti a mão no bolso tirando o pacotinho.
- Veja, Papai, comprei uma coisa linda para o senhor.
Ele sorriu compreendendo o quanto custara aquilo.
- O senhor gosta?
Ele abriu a carteira e cheirou o fumo, sorrindo, mas não conseguia dizer nada.
- Fume um , Papai.
Fui até ao fogão apanhar um fósforo. Risquei um e aproximei do cigarro em sua boca.
Me afastei para assistir a sua primeira tragada. E foi-me dando uma coisa. Joguei o fósforo apagado no chão. E senti que estava estourando. Rebentando todo por dentro. Rebentando aquela dor tão grande que passara o dia ameaçando.
Olhei Papai. O seu rosto barbado, os seus olhos.
Só pude falar.
- Papai… Papai…
E a voz foi sendo consumida pelas lágrimas e soluços.
Ele abriu os braços e estreitou-me ternamente.”

FELIZ NATAL

8 comentários:

Alda M. Maia disse...

Escolheu muito bem!
Quantos anos já passaram desde que li "O Meu Pé de Laranja Lima" e quanto me comovi! Perdi esse livro; creio em qualquer empréstimo.
Bem tornada!
Boa continuação de Festas Felizes.
Um grande abraço.
Alda

Menina_marota disse...

Comovente, ainda mais porque me recordou o livro emocionante que li faz tanto tempo: “O meu pé de laranja lima”.
Feliz pelo seu regresso aqui, deixo o meu abraço carinhoso, desejando a continuação de Festas Felizes, com a entrada no ano de 2007, de uma forma feliz e cheia de alegria.

Beijo carinhoso

Otília

Rosa Brava disse...

"A gente vinha de mãos dadas, sem pressa de nada pela rua. Totoca vinha me ensinando a vida. E eu estava muito contente porque meu irmão mais velho estava me dando a mão e ensinando as coisas. Mas ensinando as coisas fora de casa. Porque em casa eu aprendia descobrindo sozinho e fazendo sozinho, fazia errado e fazendo errado acabava sempre tomando umas palmadas."

Uma das histórias mais emocionantes que recordo da minha juventude, livro oferecido pelo meu querido Pai, por altura de um meu aniversário.

Grata pela partilha e por me fazer recordar...
Uma feliz entrada em 2007, cheia de amor e carinho.

Um abraço carinhoso ;)

Menina_marota disse...

Vim deixar um GRANDE abraço e dizer que a LILI está no menina Marota...

;)

aavozaida disse...

Olá
Beijinhos a todas.
Vim matar saudades dos meus gatos e dos meus amigos.
Zaida

Confissões disse...

Adorei este blog.. isto porque eu sou fã incondicional dos gatos!!! Ainda por cima.. a Lili que é uma siamesa tão bela.. como a miha a Sky que tb é uma siamesa. Um dia tenho que vos apresentar a minha linda!! ;)

Confissões disse...

www.confissoesdeumasurda.blogs.sapo.pt

asn disse...
Este comentário foi removido pelo autor.